Em nova carta juíza denuncia perseguição do TJ e pede definitivamente exoneração

Ana Carolina Barbosa, juíza em Xinguara, no sul do Pará, pediu demissão do cargo. É a 2ª vez que ela toma essa iniciativa. A 1ª ocorreu em outubro do ano passado, mas depois voltou atrás.

A magistrada, em carta ao presidente do Tribunal de Justiça paraense, disse que dessa vez é definitivo, e que não permitirá, como na primeira, a interferência de associações de magistrados (Amepa e AMB), para demovê-la da ideia. “Depois de acolhido o pedido de desistência pelo Presidente anterior, iniciei um tratamento psicológico.

O diagnóstico de depressão e ansiedade foram tratados pela mídia, pelo Tribunal e pelas associações como transtorno mental e/ou comportamental, como quase que direcionado para uma ‘eventual’ e ‘oportuna’ desqualificação profissional. Nada mais injusto e preconceituoso”, escreveu.

“Despeço-me definitivamente do TJEPA. Peço o deferimento do meu pedido de exoneração e a não intervenção do órgão de classe, do qual já me desliguei”, encerra Ana Barbosa.
Abaixo, a íntegra da carta:

Tribunal de Justiça do Pará— Foto: Divulgação/TJPA

Jornal Folha do Progresso com texto de Jeso Carneiro

Fonte: www.folhadoprogresso.com.br

Compartilhe nas Redes Sociais

Deixe uma resposta